Mãe Catirina chora: Papete morre aos 68 anos, vítima de câncer de próstata

PAPETE 1

Morreu na noite dessa quarta-feira (25) aos 68 anos o engenheiro ambiental, cantore compositor José de Ribamar Viana, o ‘ Papete ’. Papete lutava contra um câncer de próstata, diagnosticado este ano. O músico estava internado em um hospital em São Paulo, e o quadro havia piorado nos últimos dias.

O corpo de Papete deve ser transferido para São Luís ainda nesta quinta-feira (26), onde será velado na Casa do Maranhão, região central da capital maranhense.

Papete foi reconhecido um dos melhores percussionistas do mundo. Seu trabalho mais destacado é ‘Bandeira de Aço’. Mais recentemente, o cantor e compositor lançou um trabalho que resgata a história dos cantadores de bumba meu boi do Maranhão.

Uma das músicas que marcaram a infância deste blogueiro é, justamente, uma obra de Papete, Catirina. Que era escuta na minha casa, quando jornalistas amigos de meu pai, nos visitavam. É um pouco da minha história morrendo, é a cultura do Maranhão morrendo em um pedaço importante.

Veleu Papete!

 

Catirina
Papete

Catirina que só quer
comer da língua do boi
carne seca na janela
quando alguém olha pra ela
pensa que lhe dão valor

Ai Catirina poupa esse boi,
Ai Catirina poupa esse boi.
Que quer crescer

E la vai meu boi prenda da cidade
Moça de idade não pode me acompanhar
Que a saudade a traça estraçalha o coração
E mulher bonita chave de prisão

Catirina que só quer
Comer da língua do boi
Carne seca na janela
Quando alguém olha pra ela
Pensa que lhe dão valor

Ai Catirina poupa esse boi,
Mãe Catirina poupa esse boi.
Que quer crescer

E la vai meu boi no romper da aurora
Moça linda chora, com saudade vai ficar
Quando eu for me embora
No aeroplano mais no fim do ano
Eu volto pra te encontrar.

Catirina que só quer
Comer da língua do boi
Carne seca na janela
Quando alguém olha pra ela
Pensa que lhe dão valor

Ai Catirina poupa esse boi,
Mãe Catirina poupa esse boi.
Que quer crescer

E la vai meu boi dando adeus pra ela
Que fecha a janela trancando meu coração
Que é um boi de pasto carregando sela
Fazendo vergonha pra ela e pra São João

Catirina que só quer
Comer da língua do boi
Carne seca na janela
Quando alguém olha pra ela
Pensa que lhe dão valor

Ai Catirina poupa esse boi,
Mãe Catirina poupa esse boi.
Que quer crescer

E la vai meu boi arrastando a barra
A mare esbarra no meio do boqueirão
Levando um recado pro meu senhor São João
La na capital São Luis do Maranhão.

Faça um comentário

No Maranhão: Tiririca é condenado a 34 anos de prisão por abuso de três crianças

Cadeia

Em sentença assinada na última segunda-feira, 23, a titular da 5ª Vara da Comarca de Caxias, juíza Marcela Santana Lobo, condenou José do Amparo Barbosa da Silva, o Tiririca, como é conhecido, a 34 anos (trinta e quatro) anos, 01 (um) mês e 14 (quatorze) dias de reclusão pelo crime de estupro contra três crianças (meninos), à época dos fatos uma com idade de 12 anos e duas de 10 anos. A pena (soma de duas penas de 17 anos e  22 dias de reclusão) deve ser cumprida em regime inicialmente fechado, “no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, Timon, ou outro destinado a presos definitivos”.

A decisão atende à Ação Penal Pública interposta pelo Ministério Público Estadual contra o réu. De acordo com a ação, no período de setembro a novembro de 2014, José do Amparo praticou contra as crianças “atos libidinosos diversos da conjunção carnal, ciente de que eram menores de quatorze anos”, atos que resultaram na transmissão, para duas das crianças, de doenças venéreas (sífilis e HPV) que o acusado sabia ser portador.

 Ainda segundo a ação, a ação foi praticada pelo menos uma vez por mês em relação a cada vítima, na casa do denunciado ou no vestiário do Estádio Rita Queiroz, onde funcionava a escolinha de futebol da qual o acusado era professor e os meninos alunos.

Silêncio – Segundo a narração das vítimas, por ocasião dos treinos o professor os atraía para o vestiário ou os levava para casa (do professor) onde, sozinho com os menores, praticava com os mesmos sexo anal e oral, além de outros atos de natureza libidinosa. Em troca do silêncio das crianças, José do Amparo os presenteava com brinquedos, inclusive uma bicicleta, dada a uma das vítimas. Uma das vítimas relata ainda o uso de força pelo professo para consumar o estupro do qual foi vítima, bem como as ameaças feitas pelo condenado.

Ouvidas em depoimento, as mães dos menores informaram que matricularam os filhos na escolinha de futebol patrocinada pelo professor. Com o passar do tempo, porém, a mudança no comportamento das crianças levou-as a conversar com os filhos, quando descobriram o acontecido, bem como as doenças venéreas transmitidas às crianças.

Vírus – Laudo anexado aos autos comprova que José do Amparo é portador de sífilis. “Exame de corpo delito do acusado afirma não ter sido constatada nenhuma lesão clínica sugestiva de HPV, o que não descarta a presença do vírus na forma latente, consta dos autos.

Diz a juíza: a ausência de laudo clínico, portanto, atestando ser o acusado ser portador de HPV não afasta ser ele contaminado pelo vírus, consoante farta literatura médica disponível. Repita-se, portanto, a conclusão exarada de que a simples ausência de manifestação clínica do HPV não afasta a probabilidade da infecção, mormente quando o menor teve seu único contato sexual com o acusado, possuindo à época tenra idade”, atesta a juíza em relação à vítima infectada com HPV.

Ouvido em Juízo, o acusado negou os fatos, afirmando que as denúncias decorreram da proibição das crianças de participarem de um evento coordenado por ele (professor).

Cautelosa escolha das vítimas – Na visão da juíza Marcela Lobo, as provas constantes dos autos confirmam que os menores sofreram “várias investidas de natureza sexual durante o período em que freqüentaram a escolinha de futebol do acusado, consistentes em relação sexual oral, anal (acusador passivo), tentativa de relação anal (acusador ativo),” entre outras citadas pela magistrada.

 “Aproveitando-se da confiança depositada pelas famílias e buscando segregar os menores de adolescentes com maior nível de discernimento, o professor seduzia-os com brinquedos que as condições socioeconômicas dos genitores normalmente não permitiam, aliciando-os, assim, à prática criminosa”, afirma a magistrada.

Para a juíza, ao escolher o público alvo entre menores de comunidades carentes, prometendo a entrega de cestas básicas às famílias, “o acusado selecionava vítimas potenciais entre as que já eram economicamente vulneráveis”. E conclui: “a conduta revela não apenas o conhecimento da ilicitude da prática criminosa, como premeditação na cautelosa escolha das vítimas”.

Faça um comentário

Jornalistas divergem: Eliziane Gama está crescendo ou encolhendo?

Eliziane Gama - perfilO Blog do Udes Filho decidiu comentar os entendimentos dos jornalistas Marco Aurélio D’Eça e Raimundo Garrone, sobre as ultimas adesões de siglas partidárias em apoio à pré-candidatura de Eliziane Gama em São Luís. Na opinião deste blog, Garrone e D’Eça, independente das opções partidárias, são leitura obrigatória para quem deseja acompanhar os bastidores da política maranhense, através de um jornalismo de qualidade.  Mas em relação a Eliziane Gama, nos títulos já se observa a divergência dos analistas.  D’Eça com “O xeque-mate de Eliziane Gama…” e Garrone com “Intervenções garantem apenas apoio formal e deixam Eliziane Gama cada vez mais só”.

Pois bem! De acordo com postagem do jornalista e blogueiro Marco Aurélio D’Eça, foi bastante positivo, o anúncio da aliança do PSDB em favor das intenções de Eliziane Gama (PPS) na disputa pelo comando da  Prefeitura de São Luís.

Para D’Eça, “Eliziane é cada vez mais favorita a vencer a disputa pela Prefeitura de São Luís”. Este favoritismo sugerido pelo jornalista, se consolidou, na opinião dele, com a aliança entre PSDB e o PPS de Gama. Marco alerta, em seu blog, que os tucanos devem indicar o vice da chapa de Eliziane.

Outra vantagem assinalada pelo blogueiro/jornalista é que “com a aliança, Eliziane amplia seu tempo na propaganda eleitoral e fortalece seu palanque com uma legenda com forte estrutura política e eleitoral”. Leia a postagem completa de Marco D’Eça.

Por outro lado, o também jornalista e blogueiro de vasta experiência, Raimundo Garrone, em seu blog, fez uma analise bem diferente sobre a situação da mesma personagem.

Garrone, por sua vez observa aspectos bem negativos na aliança dos tucanos maranhenses em apoio à pré-candidatura da deputada federal para o executivo de São Luís.

O jornalista acredita que ao contrário do que se possa imaginar o anúncio da aliança com PSDB e a retomada do PSB pelo senador Roberto Rocha, para apoiá-la, deixaram a deputada federal e pré-candidata a prefeita de São Luís, Eliziane Gama (PPS), cada vez mais só.

Para Garrone, é extremamente negativo o fato de Gama ter “operado” diretamente com caciques em Brasília, deixando de conquistar o apoio das bases dos partidos, para tentar convencê-las da maior viabilidade de sua candidatura em detrimento dos pré-candidatos já declarados, Neto Evangelista (PSDB) e Bira do Pindaré (PSB). Leia a postagem no Blog do Garrone.

Opinião do Blog do Udes Filho

Concordo com as analises dos dois jornalistas. Como divulgado por Marco, adesões de partidos do porte como PSDB e PSB, evidentemente, refletem força e um visível ganho de massa corporal política. A repercussão na mídia, de alianças deste porte, serve como marketing político bastante eficaz, tanto para atrair novas siglas partidárias, como para pesar na decisão de eleitores indecisos que acompanham os acontecimentos pelos jornais, portais, blogs e redes sociais.

Por outro lado, observo que a opinião do Garrone faz muito sentido e precisa ser analisada com muita pericia por Eliziane Gama, seus articuladores e conselheiros.

 Ao fechar as alianças através dos caíques, em Brasília, Eliziane pode ter cometido um erro ao deixar ter o contato, o dialogo com as bases dos partidos, que sonhavam com candidaturas próprias. A falha pode ser explorada por adversários. E quando digo adversários, me refiro aos membros dos partidos recém-aliados, que se sentem contrariados.

Faça um comentário

Rodoviários exigem escolta policial em ônibus que circulam na zona rural de São Luís

29/07/2013. Crédito: Honório Moreira/OIMP/D.A Press. Brasil. São Luis - MA. Número de assaltos a ônibus este ano já supera todo o ano passado na capital, diz Sindicato dos Rodoviários de São Luis

Em novo encontro na manhã desta terça-feira (24), no Palácio dos Leões, o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão cobrou do Governo do Maranhão, medidas mais eficazes, que possam impedir novos ataques à ônibus em pontos finais mais afastados, principalmente, aqueles localizados na zona rural.

O Presidente da entidade, Isaias Castelo Branco, entre as sugestões levadas para a reunião, solicitou que os coletivos que realizam trajetos para locais mais distantes, sejam escoltados por homens da polícia militar. Na noite da última segunda-feira, mais um ônibus foi alvo de tentativa de incêndio na região do Maracanã.

A Secretaria de Segurança Pública pediu ao Sindicato dos Rodoviários, um mapeamento dessas áreas mais preocupantes, para que o trabalho seja executado o mais rápido possível. Logo após o encontro com autoridades de segurança, a entidade que luta pela preservação dos direitos e segurança de quem atua no transporte público, se reuniu com a MOB, para realizar este mapeamento composto por áreas ou pontos finais considerados mais vulneráveis a criminalidade. As informações já foram encaminhadas a Secretaria de Segurança Pública e Comando da PM.

“Estamos fazendo tudo o que está ao nosso alcance para garantir a integridade dos trabalhadores do transporte público. Essa garantia de escolta policial em ônibus que trafegam pelas localidades mais afastadas da grande São Luís vai trazer mais tranqüilidade não só para a categoria, mais também aos usuários do sistema. Na noite de segunda fomos surpreendidos com mais uma tentativa de ataque a ônibus e isso já estava fora de controle. As autoridades de segurança não podem mais permitir que os criminosos dominem a situação, causando pânico e terror entre a população. Esperamos que essa medida seja colocada em prática ainda hoje”, declara Isaias Castelo Branco, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.

Faça um comentário

Para prefeito de São Luís: Gráficos de “pesquisas” suspeitas são espalhados nas redes sociais

grafico

Divulgados em grupos de whatsapp e usados como fonte de informação, gráficos de duas supostas pesquisas eleitorais, bem suspeitas, que sendo verdadeiras apontariam novos rumos para a eleição do próximo prefeito de São Luís, causaram um pequeno alvoroço no surpreendente Reino da Blogosfera maranhense.

O primeiro gráfico de “pesquisa”, com claros sinais de fraude grosseira, divulgado na segunda-feira (23), sem que ninguém saiba a sua origem, apresenta um cenário que se tratando do primeiro e segundo pré-candidatos mais votados, até que dá para engolir, mesmo com o cheirinho de fraude exalando.

Já no segundo gráfico de “pesquisa”, espalhado na manhã desta terça-feira (24), também, com todos os indícios de fraude, os dois pré-candidatos mais votados refletem o cenário do gráfico da primeira “pesquisa”, entretanto, a armação se entrega quando fazemos a comparação do terceiro ao ultimo colocado nas duas “sondagens”, que mostram cenários totalmente destoantes da realidade, principalmente, para quem acompanha os bastidores da política de São Luís.

Pré-candidatos soltaram foguetes e até reuniram amigos para comemorar.

Comemorar o quê mesmo? O resultado de pesquisas que só existem na cabeça de quem as montou? É de lascar!

Pois é! Parece brincadeira de criança, mas este é o mundo da internet e das redes sociais, onde tudo pode, onde qualquer mentira pode ganhar status de verdade.

Faça um comentário

Justiça mantém prisão dos envolvidos nos incêndios a ônibus em São Luís

cadeia

A Justiça decretou a prisão preventiva dos acusados de envolvimento nos incêndios a ônibus em São Luís, que tiveram as prisões em flagrante encaminhadas pela Polícia Civil à Central de Inquéritos e ao Plantão Judiciário do Fórum Des. Sarney Costa, desde a última sexta-feira.

Dos seis adultos – quatro homens e duas mulheres – presos em flagrante na madrugada de sexta-feira (20), todos tiveram suas prisões preventivas decretadas pela juíza da Central de Inquéritos, Andréa Maia, atendendo requerimento do Ministério Público, e foram encaminhados ao presídio. Os acusados foram ouvidos em audiência de custódia na manhã de ontem (23), no Fórum de São Luís. Leia mais no Portal O 4º Poder.

Faça um comentário

Márcio Jerry: “O pré-candidato do PCdoB é Holanda Jr e o vice será debatido entre partidos da base”

????????????????????????????????????
Márcio Jerry, secretário de Articulação Política e Comunicação do Governo do Estado e presidente do PCdoB no Maranhão

Questionei o secretário de Articulação Política e Comunicação do Governo do Estado, que também é presidente do PCdoB/MA, sobre informação divulgada pelo companheiro blogueiro Diego Emir, sobre a possibilidade de o partido ter uma candidatura própria a prefeito de São Luís, abandonando o apoio à reeleição de Holanda Jr.

De acordo com Diego Emir, hoje, terça-feira (24), aconteceria uma reunião da executiva municipal do PCdoB e uma proposta seria apresenta apresentada para mudar os rumos da disputa pela Prefeitura de São Luís. Emir, disse que até nomes já estariam cotados para a disputa comunista, o vereador Professor Lisboa e o sindicalista Júlio Pinheiro.

O Blog do Udes Filho ouviu Márcio Jerry, que negou terminantemente os fatos narrados por Emir.

“O candidato do PCdoB é o prefeito Edivaldo Holanda Jr”, afirmou Jerry.

Ao perguntá-lo sobre um suposto acordo para que o vice de Holanda Jr venha do PCdoB, Márcio respondeu que “O PCdoB debaterá, com os partidos que apoiam o prefeito Edivaldo Holanda Jr, a definição do vice”.

Por fim, Jerry fez questão de reiterar que o governador Flávio Dino manterá postura neutra, já que há mais de um pré-candidato de sua base de apoio na disputa pelo comando da Prefeitura de São Luís.

Faça um comentário

Ações de facção criminosa em São Luís “botam fogo” no debate dos deputados

Ribamar Santana/ Agência Assembleia

Deputado Rogério Cafeteira (PSB)
Deputado Rogério Cafeteira (PSB)

A onda de violência reinante em São Luís nos últimos dias, com seguidos ataques a ônibus e consequentemente o pânico vivido pela população, além d a interrupção dos serviços de transporte coletivo, dominou o debate na sessão da Assembleia, nesta segunda-feira (23). “As facções estão se organizando, mandando mensagem para cá e para lá. Parabenizo a ação forte da Polícia, com 35 presos, mas precisamos melhorar a diária dos nossos policiais”, disse o deputado Cabo Campo, provocando o debate.

Segundo Cabo Campos, os policiais vindos do interior para reforçar o policiamento da capital estão submetidos a uma escala muito pesada de trabalho e ganhando uma diária de R$ 150, que ainda não foi paga. No entanto, acrescentou que “os militares da Guarda Nacional, que sou a favor que venham, já chegam aqui com a diária no bolso de R$ 272,00 e vão ter um bom alojamento, uma boa alimentação e uma escala digna de trabalho. Por que não darmos essas mesmas condições aos nossos policiais?”, reclamou.

O deputado Júnior Verde (PRB), presidente da Frente Parlamentar de Segurança Pública e Privada, manifestou-se favorável à vinda da Guarda Nacional, mas advertiu que a medida não resolve o problema de Segurança Pública do Estado, apenas reforça a segurança em um momento emergencial.

SUGESTÃO DE MEDIDAS DE SEGURANÇA

“Para tanto, sugerimos, dentre outras medidas: a continuidade dos concursos públicos para a Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros;  para a Polícia Civil, para que muitos policiais que, hoje, cumprem funções burocráticas possam reforçar o policiamento; celeridade na implantação dos Postos Estaduais de Policiamento em todo o Estado e de investimentos em viaturas e em armamento; a implantação imediata de bloqueadores de sinais de celulares em presídios; a imediata transferência de todos os líderes de facções que atuam dentro dos presídios; mudar as leis para que sejam mais rígidas, e os bandidos tenham a certeza da punição e a implantação dos Conselhos de Segurança Comunitários”, discorreu Júnior Verde.

O deputado Wellington do Curso (PP) disse que a questão da Segurança Pública é estrutural e que todos são responsáveis. “Enquanto não chega o braço do Estado, enquanto não chegam as benfeitorias, chega o braço da criminalidade, do crime organizado. No Bairro do Coroadindo, por exemplo, temos 65% dos jovens envolvidos com algum tipo de crime ou consumo de drogas. Pedimos ao governador mais empenho, mais atenção na parte estruturante do governo do Estado, para que possamos conter essa onda de violência”, observou.

Para o deputado Bira do Pindaré (PP), a população percebeu uma clara mudança de postura do Governo do Estado no enfrentamento da violência e o que se viu nesses últimos dias, em São Luís, é uma clara reação da criminalidade ao avanço da polícia com as blitzes, com o enfrentamento ao tráfico de drogas, com a presença do policiamento nas ruas. “O governo não ficou omisso, não se escondeu e tomou todas as providências possíveis ao seu alcance para dar respostas imediatas a esses episódios. Eu vi o secretário de Segurança na rua, vi o governador na rua, lá no Coroadinho. Parabenizo o governador Flávio Dino, o secretário de Segurança e a Polícia Militar pela atitude. É isso que se espera de um governo”, ressaltou.

O deputado Edilázio Júnior (PV) destacou a mudança de discurso de alguns deputados da Casa e do governador Flávio Dino diante dos mesmos fatos já ocorridos em São Luís no governo passado. “À época, Flávio Dino e seus liderados diziam que era falta de pulso, falta de comando. Agora não. Agora é porque o governo está combatendo o crime, está indo pra cima da bandidagem. Isto é querer brincar com a opinião pública, é querer brincar com os maranhenses”, ressaltou.

Edilázio Júnior questionou o porquê de o governador não convocar os excedentes do último concurso da Polícia Militar e preferir recorrer à ajuda do Governo de Temer, que ele acusa de golpista, para socorrer o Maranhão com o envio da Força Nacional. “Sairia mais barato chamar os excedentes, traria mais emprego e mais estabilidade para o nosso Estado”, argumentou.

Por sua vez, o deputado Eduardo Braide (PMN) disse que é inadmissível que São Luís fique refém de uma situação como essa. “A Polícia Federal deve ser chamada para dar sua contribuição, principalmente no que diz respeito ao serviço de inteligência. Esta Casa precisa tomar a frente e se alguma medida legislativa estiver ao alcance, temos que colocá-la urgentemente no ordenamento jurídico para dar mais segurança, para dar mais tranquilidade a essa população que tanto sofre”, defendeu.

O líder do Governo, deputado Rogério Cafeteira (PSB), afirmou que o Governo não negociou e nem negocia com facções e destacou o trabalho feito pela Polícia Militar e Civil no enfrentamento da onde de violência. “Eles merecem nossa referência, nossa admiração e respeito. Eles estão no enfrentamento e a Força Nacional vem para ajudar. Nós vamos enfrentar a crise e vencer. Aqui não cabe a nós fazer comparação e nem politizar um problema deste, que é um problema de toda a sociedade”, observou.

Faça um comentário

Apoio velado? Flávio Dino ficará neutro para prefeito de São Luís, mas PCdoB terá candidato

flávio citação

Em conversa com o secretário de Articulação e Comunicação do Governo do Estado, Márcio Jerry, o Blog do Udes Filho confirmou a situação de neutralidade do governador Flávio Dino (PCdoB) em relação à eleição para prefeito de São Luís, agora, em 2016.

 “O governador Flávio Dino, enquanto militante político e membro de um partido, manifestará posicionamentos quando a disputa não for entre partidos da base de apoio dele. Em São Luís ele se manterá neutro”, disse Jerry ao blog.

 A neutralidade de Dino, em São Luís, já havia sido anunciada no final do ano passado, em entrevista concedida a um jornal impresso da capital, quando além de explicar a sua postura em São Luís por conta das pré-candidaturas aliadas em 2014 [Edivaldo Holanda Jr e Eliziane Gama] o governador afirmou, também, que o Governo do Estado na sua gestão não fará uso de recursos públicos para bancar campanhas aliadas: “Nós não teremos recursos públicos financiando campanhas. Isto é inclusive uma revolução no Maranhão”.

Dino afirmou ainda, na entrevista, que “em algumas situações, em que nada disto for possível [acordo entre candidatos aliados de 2014, para eleição de 2016], aí a tendência é que eu guarde uma posição de neutralidade como, por exemplo, o caso de São Luís, em que se desenha uma disputa polarizada entre dois candidatos que participaram diretamente da minha campanha em 2014, que é o prefeito Edivaldo Holanda Júnior e a deputada Eliziane Gama. Então, neste caso, eu devo manter os acordos de 2014 e, por isso, manter uma posição pessoalmente equidistante em relação a estes candidatos. Não obstante, o meu partido, é claro, irá tomar uma posição partidária, mas não significa o meu envolvimento pessoal”.

Resumo da ópera: A princípio, este blog tinha como opinião que a neutralidade do governador prejudicaria Holanda Jr e, automaticamente, beneficiaria Eliziane Gama. No entanto, ao analisar com maior atenção, percebo que o governador ficará neutro, mas o seu partido, o PCdoB, se posicionando, evidentemente, por Edivaldo Holanda Jr, caracterizaria uma espécie de apoio velado de Dino à Holanda Jr. Só lembrando que já existem comentários nos bastidores sobre a forte possibilidade de que o vice de Holanda seja do PCdoB.

 

Faça um comentário

Fraude previdenciária: Federal cumpre 12 mandados de prisão, hoje, em São Luís

PFFoi deflagrada nesta terça-feira (24), na capital maranhense, a Operação “Casa Cheia”, que tem como finalidade reprimir crimes previdenciários. A operação foi realizada pela Força-tarefa Previdenciária, integrada pelo Departamento de Polícia Federal, Ministério do Trabalho e Previdência Social e Ministério Público Federal.

As investigações, iniciadas no ano de 2015, levaram à identificação de um esquema criminoso com atuação desde 2011, responsável pela concessão de benefícios de amparo social ao idoso fraudulentos. Os titulares eram pessoas fictícias, criadas virtualmente por meio da falsificação de documentos públicos. No esquema, havia a participação de três servidores do INSS e de intermediários.

A Polícia Federal cumpriu 12 mandados judiciais, sendo um de prisão preventiva, quatro de condução coercitiva e sete de busca e apreensão. Dentre os mandados consta, ainda, a previsão de arresto de bens imóveis e de veículos no nome dos investigados, além da determinação para que o INSS bloqueie o pagamento de 43 benefícios de amparo social ao idoso e realize auditoria em outros 27 benefícios dessa mesma espécie.

Com relação aos servidores da autarquia previdenciária, há a proibição de frequentar o local de trabalho, e a determinação para o afastamento das funções públicas pelo prazo de 90 dias.

O prejuízo inicialmente identificado se aproxima de R$ 1,65 milhão. O valor do prejuízo evitado com a consequente suspensão desses benefícios, levando-se em consideração a expectativa de sobrevida média da população brasileira, é de aproximadamente R$ 1 milhão.

A operação contou com a participação de policiais federais e de servidores da área de inteligência do Ministério do Trabalho e Previdência Social- a Assessoria de Pesquisa Estratégica e Gerenciamento de Riscos (APEGR). A investigação também teve o auxílio do Instituto de Identificação do Estado do Maranhão.

A Operação foi denominada “Casa Cheia” por que os titulares de 42 benefícios identificados supostamente residirem em apenas duas residências, levando-se em conta o endereço cadastrado nos benefícios.

Faça um comentário